Código IK e Proteção IP: guia para a câmera de segurança ideal

Posted by
LinkedIn
Facebook
Facebook
Twitter
Google+
https://blog.g4s.com.br/codigo-ik-e-protecao-ip/

Encontrar a câmera certa para o CFTV depende de muitos fatores; conheça os códigos de classificação e veja o que levar em conta

 

Código IK e Proteção IP

 

O monitoramento de imagens é uma necessidade para muitos setores. Seja uma rede de varejo, um edifício corporativo ou  planta industrial, a vigilância ajuda a cobrir vulnerabilidades e a evitar ocorrências, além de também gerar material útil para outras áreas, como estudos de fluxo de pessoas.  

Porém, embora setores diversos façam bom uso de câmeras de monitoramento, cada um têm características específicas a serem consideradas. De acordo com o risco e as situações a que o equipamento será exposto, é preciso escolher câmeras que suportem maior ou menor impacto, por exemplo. Uma forma segura de encontrar a câmera ideal é basear-se nos códigos internacionais de classificação de equipamentos eletrônicos.

 

Código IK – Proteção contra impactos

 

O código IK classifica as câmeras e demais equipamentos de acordo com o seu grau de proteção de invólucros e contra impactos mecânicos. Isso define, por exemplo, se o equipamento é resistente a atos de vandalismo. Essa classificação é composta pela sigla IK seguida por um número que vai de 00 a 10 (do menor ao maior grau de resistência). Para entender melhor, confira a tabela de classificação:

Código IK IK00 IK01 a IK09 IK06 IK07 IK08 IK09 IK10
Energia de Impacto (joules) <1 1 2 5 10 10
R mm (raio do elemento de impacto) 10 10 25 25 50 50
Material Poliamida Poliamida Aço Aço Aço Aço
Massa (kg) 0.2 0.5 0.5 1.7 5 5
Martelo de pêndulo Sim Sim Sim Sim Sim Sim
Martelo de mola Sim Não Não Não Não Não
Martelo em queda livre Não Não Sim Sim Sim Sim

Isso quer dizer uma câmera classificada como IK09 ou IK10 cobre as principais necessidades de um equipamento instalado em uma área externa, exposto a riscos de depredação como pedradas. Já áreas internas, com baixo risco de impacto, podem utilizar câmeras intermediárias, como as de classificação IK06 ou IK07.

O código IK é baseado na norma europeia BS EN 50102, de 1995, adotado como norma internacional em 2002 (IEC 62262). Desde 2015, a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) mantém como norma no Brasil a NBR IEC 62262:2015. Em todos os casos, a tabela de classificação se mantém.

 

Índice de Proteção IP – Proteção contra partículas e água

 

Paralela ao código IK, o Índice de Proteção IP ou classificação de proteção IP é um código composto por duas letras e dois números. Enquanto o IK indica o grau de proteção contra impactos, o IP aponta a proteção contra contato e entrada de poeira e água. A estrutura do código é feita da seguinte forma:

 

Letras IP Número de 0 a 6 Número de 0 a 8
Indica o tipo de código Refere-se à proteção contra contato e entrada de corpos sólidos estranhos (como poeira), contra o contato entre as partes móveis do equipamento e contra a ação de pessoas (intrusão) Refere-se à proteção contra a entrada perigosa de água.

 

O Índice IP é definido pela IEC 60529. Confira aqui a proteção indicada por cada número.

Ou seja, para compreender o código e escolher o equipamento correto, é preciso conhecer os riscos aos quais ele estará exposto e interpretar os dígitos em conjunto. Por exemplo, uma câmera IP 61 oferece alta proteção contra a entrada de partículas (nível 6), mas baixa proteção para a entrada de água (nível 1). Da mesma forma, um equipamento IP 38 tem proteção média contra o contato (nível 3) e proteção alta contra a água (nível 8). Entender essa relação é essencial para garantir o funcionamento adequado da câmera no local de instalação.

 

Códigos complementares.

 

Por avaliaram graus de resistência em áreas distintas, o código IK e o Índice IP funcionam como informações complementares. Em alguns casos, em que o risco de impacto seja maior, o código IK será mais útil. Em outros, onde a infiltração de água possa ser um problema, o IP pode funcionar melhor. De toda forma, planejar é essencial: só o estudo detalhado do local onde as câmeras serão instaladas poderá indicar as necessidades de cada projeto.

Informe-se sobre a qualidade dos fornecedores dessa tecnologia e certifique-se de contar com especialistas na hora de escolher as soluções tecnológicas mais seguras para a sua realidade.

 


Leia também:

 

Análise de riscos é essencial para plano de segurança

Central de Monitoramento do futuro

Siga a G4S Brasil no Linkedin!

 


 

Continue lendo: preencha o formulário e faça o download do guia “Tecnologia a Serviço da Segurança”!

* Esses campos são obrigatórios.