Exposec 2018 – Confira como foi a 21ª edição da feira!

Posted by
LinkedIn
Facebook
Facebook
Twitter
Google+
https://blog.g4s.com.br/exposec-2018/

Texto originalmente publicado no site da Exposec 2018.


 

Exposec 2018

 

São Paulo, 22 de maio de 2018 – Num momento em que a segurança, ou a falta de segurança, está em evidência, gerando preocupação à população, a Exposec – 21ª Feira Internacional de Segurança, apresenta o que há de mais moderno e avançado em tecnologia para os setores público e privado. O evento, aberto nesta terça-feira (22), no São Paulo Expo, reúne cerca de 800 marcas expositoras, com expectativa de receber 43 mil visitantes. Com faturamento de mais de R$ 6 bilhões em 2017, o setor de segurança eletrônica deve crescer 2% a mais este ano, em função de um pequeno aquecimento do mercado, com destaque para os segmentos de videomonitoramento e portarias remotas. Os dados são da Abese (Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança). Atualmente, o país conta com mais de 26 mil empresas de segurança eletrônica.  E a Exposec é a vitrine para alavancar esse crescimento.

 

Cipa Fiera Milano abre a 21ª Exposec com as novidades mundiais no setor de segurança no São Paulo Expo

Abertura Exposec 2918

A Exposec, maior feira latino-americana de segurança eletrônica, foi aberta ao público nesta terça-feira (22) no São Paulo Expo. As novidades em sistemas integrados, equipamentos autônomos e inteligência artificial voltadas para a melhoria da qualidade de vida das pessoas estão sendo demonstradas por 800 expositores.

Na cerimônia de abertura, o diretor comercial da Cipa Fiera Milano, organizadora e promotora da feira, Rimantas Sipas, agradeceu a equipe que, durante 12 meses, se dedicou para garantir o que há de mais moderno em segurança no mundo na Exposec. Em sua 21ª edição, a feira entrou para o ranking internacional da Globex como a primeira em segurança no Brasil.

Já a presidente da Abese, Selma Migliori, lembrou que a Exposec é hoje referência no setor em toda a América Latina. “E acontece num momento particular, quando a segurança pública é prioridade em todo o mundo e, em especial, no Brasil.”

Ao mesmo tempo, segundo Selma, a segurança eletrônica está em transformação “e fazemos parte dessa transformação”. “Tanto que vamos lançar, na quarta-feira (23), às 10 horas, o Comitê de Internet das Coisas, para mostrar o nosso engajamento no processo de modernização que tomou conta do mundo”, afirmou a presidente da Abese.

A Secretaria Municipal de Segurança de São Paulo está na feira com o projeto City Câmera. Para o secretário da pasta, José Roberto Rodrigues de Oliveira, a segurança eletrônica é fundamental para tornar a cidade de São Paulo mais segura. “Estamos trabalhando nesse sentido”, afirmou Oliveira durante a abertura da feira.

 

Uso de novas tecnologias ajudam na segurança, mas também favorece atos criminosos, diz especialista

 

Drone Exposec

 

Terroristas e narcotraficantes estão utilizando as novas tecnologias para ações que atingem diretamente a segurança mundial. A conclusão é do presidente Executivo CEAS Internacional – Corporaçción Euro-Americana de Seguridad, Eloy Melendre y Carrera, que falou na abertura do Cobrase (Congresso Brasileiro de Segurança), durante a Exposec.

Drones teledirigidos para transporte de explosivos, venenos, armas e com capacidade de reconhecimento facial, objetos com coordenadas já são usados na atualidade como armas seletivas e de massacres em massa, garante Carrera. “A tecnologia já existe e é utilizada tanto na vida civil, militar, como por terroristas e pelo crime organizado, o que pode ter efeitos catastróficos para a humanidade”, analisa o executivo. “Além disso, o cyber terrorismo tem desenvolvido uma guerra eletrônica que serve para a difusão de ideologias do ódio.”

Carrera, que preside uma sociedade internacional de segurança e para a resolução de conflitos, tendo atuado no Iraque, Iuguslávia, País Basco, lembra que os países da América Latina e também o Brasil não estão livres de ações terroristas. “Até porque há uma relação estreita entre terrorismo e o narcotráfico”, garantiu. “Por exemplo, o terrorismo na Espanha é financiado exatamente pelo narcotráfico”, assegura.

 

Número de funcionários na segurança privada supera o de agentes públicos no Brasil

 

O Brasil tem um enorme potencial de crescimento na área de segurança empresarial, o que deverá contribuir com a melhoria dos índices de criminalidade do país. É o que prevê Miguel Liborio, coronel da Polícia Militar do Estado de São Paulo e consultor internacional de Segurança, que proferiu palestra, na manhã desta terça-feira (22), no Cobrase (Congresso Brasileiro de Segurança).

“Dados de órgãos internacionais colocam o Brasil em quarto no mundo em estrutura de segurança, atrás apenas de China, Índia e Estados Unidos”, disse Liborio. Como exemplo, afirmou que o número de funcionários de segurança privada no país é de 1,7 milhão, quase o triplo da quantidade de agentes públicos no setor, 687 mil. “Fora os dois milhões de clandestinos na segurança privada”, afirmou.

Para Liborio, o crescimento na área de segurança privada virá com uma “quebra de paradigma”, que envolverá investimento em tecnologia, participação comunitária e valorização das instituições de segurança pública e privada.

 

Casas e prédios residenciais já podem ter câmeras de alta tecnologia a custo menor

Público Exposec 2018

Câmeras wi-fi de última geração deixaram de ser exclusividade de empresas e, agora, também começam a ser instaladas dentro e fora de residências e condomínios graças à maior facilidade de acesso à tecnologia de ponta a preços mais acessíveis. As novas tecnologias estão em exposição na Exposec.

Uma das apostas na área é a HikHome, linha de câmeras residenciais wi-fi plug @ play da Hikvision. Os aparelhos podem ser controlados a distância via celular, inclusive com recursos de áudio e movimentação remota do ângulo de vigilância já disponíveis ao mercado brasileiro por preço sugerido de R$ 350 ao usuário final.

A Intelbrás também aposta na área com câmeras da linha Mibo. O lançamento deste ano é a iC7s, câmera wi-fi com sensor de movimento, vigilância 360° do ambiente com qualidade full HD e central de alarme, entre outros benefícios.

 

Sistema consegue identificar veículos roubados e dar o alerta

 

A união de um físico, um estudante de mecatrônica e outro de engenharia elétrica possibilitou a criação de uma startup de sucesso na área de segurança veicular. A Retina Vision oferece um sistema que é capaz de identificar veículos roubados em estacionamentos e condomínios e dar o alerta para seguradoras.

Paulo Silveira conheceu seus sócios, Guilherme Camargo e Victor Miguez em uma matéria no curso de tecnologia da USP, quando tiveram que elaborar um tralhado acadêmico de prevenção contra roubo de veículos. “Fizemos um piloto para a Porto Seguro e, em dois meses, o sistema já tinha conseguido identificar sete carros roubados em São Caetano do Sul”, lembra Silveira. “Isso teve um impacto positivo de R$ 300 mil para a seguradora. Percebemos que já não era mais um piloto, mas um projeto viável.”

Com apoio financeiro da própria Porto Seguro e da norte-americana Blugard Play a startup já sonha em ampliar sua ação. “Inicialmente focamos seguradoras e condomínios, mas já pensamos em oferecer serviços para os consumidores finais”, garante Silveira.

Fonte e informações para imprensa:

2PRÓ Comunicação
Email equipe: fieramilano@2pro.com.br | Cel. equipe: (11) 98578-1707

Teresa Silva – (11) 3030-9463 |99228-7836
Myrian Vallone – (11) 3030-9404 | 98378-3888
Renê Gardim – (11) 3030-9422
Imagens: Estúdio WTF


Leia também:

5 lançamentos da CES 2018 para o setor de segurança e facilities.

Os destaques da ISC Brasil para a tecnologia na segurança.

Siga a G4S Brasil no Linkedin! 


Baixe o e-book “Tecnologia a Serviço da Segurança”! Confira como as soluções tecnológicas e a segurança andam juntas:

* Esses campos são obrigatórios.