Tendências da proteção executiva: segurança VIP low-profile

Posted by
LinkedIn
Facebook
Facebook
Twitter
Google+
https://blog.g4s.com.br/protecao-executiva-low-profile/

Focar em uma segurança efetiva e menos ostentosa é uma tendência utilizada cada vez mais na proteção executiva. Confira as vantagens

 

Proteção Executiva - Tendência Low Profile na Segurança Executiva

 

A imagem clássica da proteção executiva, com agentes de terno e óculos escuros, vem perdendo a força. Da mesma forma, o uso de carros de luxo blindados pode trazer mais riscos do que ganhos na segurança, já que esse tipo de veículo pode chamar uma atenção desnecessária. Nesse cenário, uma nova abordagem vem ganhando força nas operações: a segurança VIP low-profile.

Focada em otimizar as operações e torná-las mais efetivas e discretas, as operações low-profile são escolhas interessantes para executivos de diversos setores, principalmente os que preferem não chamar atenção. Em situações onde a proteção executiva está integrada totalmente no dia a dia do VIP, pode ser mais confortável lidar com uma imagem mais cotidiana – sem, é claro, abrir mão da tecnologia e do alto nível da segurança

 

Proteção executiva: eficiência e preparo constante

 

Embora construa situações mais discretas, qualquer operação de proteção executiva exige um alto nível de preparo, conhecimento e treinamento dos profissionais envolvidos. Independente de a operação contar com um único agente (como um motorista) ou com uma pequena equipe, todos os participantes devem estar cientes de suas responsabilidades. É essencial que os VSPP (Vigilante de Segurança Privada Pessoal) da operação estejam atentos e bem treinados, prontos a tirar o VIP de situações potencialmente arriscadas.

 

Por sua natureza, uma operação de proteção executiva não lida, necessariamente, com o confronto direto. A prioridade do agente é tirar o protegido da situação de risco. Por isso, as habilidades do VSPP envolvem principalmente o conhecimento de rotas de fuga, a percepção de comportamentos arriscados ou pessoas suspeitas e a ação rápida no caso de ocorrências. O treinamento para a reação também existe, mas apenas em último caso. Sempre que for possível evitar o confronto, essa opção deve ser escolhida.

 

Segurança executiva adaptada ao ambiente

 

Para proporcionar uma segurança que não chame muita atenção – e, com isso, evite novos riscos ao protegido -, é importante que a operação tenha a capacidade de agir sem destoar do ambiente. Nas ruas da cidade, por exemplo, VIP e o VSPP podem circular em carros blindados que não sejam, necessariamente, de luxo. Em nome da discrição, é interessante que os veículos utilizados sejam condizentes com a realidade do local, para que possam se misturar aos demais.

O mesmo vale para a presença do agente nos eventos onde a proteção VIP seja necessária. Na segurança executiva, o profissional deve ser culto, cordial e formal, para que possa passar despercebido e camuflar-se no ambiente. O ideal é que ele aja a uma distância média do protegido: não tão perto que ele precise ser apresentado, nem tão longe que o perca de vista.

 

Mais inteligência, menos ostensividade

 

Operações de segurança executiva low-profile devem focar mais em desenvolver estratégias do que em demonstrar poder de ação. É indispensável que, independente do veículo utilizado, o VSPP esteja preparado para realizar manobras de direção defensiva e evasiva, além de estar atento para perceber se o carro está sendo seguido.

Planejar a segurança em cada ponto da rotina do VIP, agilizando sua entrada em condomínios ou escolhendo rotas seguras de trânsito, é essencial para garantir que os riscos de ocorrências serão minimizados. Um bom relacionamento entre o VIP e o VSPP também pode fazer a diferença. É possível, por exemplo, que o agente e o protegido combinem entre si códigos e palavras seguras que comuniquem a necessidade de sair imediatamente de um local, por exemplo.

Em operações de proteção executiva, é preciso contar com a colaboração do protegido. Para minimizar o impacto em sua rotina, é importante que ele trabalhe em conjunto com a equipe de segurança, compartilhando agenda e informações úteis, garantindo operações mais seguras para todos.

 


Leia também:

VSPP: como planejar uma operação de segurança pessoal privada

Agentes de segurança: do vigilante patrimonial ao VSPP

Siga a G4S Brasil no Linkedin!


 

A segurança e proteção executiva exigem equipes treinadas e planejamento ativo. Veja tudo o que você precisa saber antes de contratar um VSPP! Baixe o e-book exclusivo:

* Esses campos são obrigatórios.