Canteiro de obras: porque investir em segurança (parte 2)

Posted by
LinkedIn
Facebook
Facebook
Twitter
Google+
https://blog.g4s.com.br/seguranca-canteiro-de-obras-2/

As características de um canteiro de obras nem sempre oferecem toda a segurança necessária ao empreendimento. Veja o que fazer!

 

Segurança patrimonial em canteiros de obras

Leia a primeira parte deste artigo clicando aqui.

 

Unir pessoas e equipamentos eletrônicos é uma boa opção para ampliar o alcance da segurança sem alocar mais profissionais. Essa máxima vale para muitas situações, inclusive um canteiro de obras. Por exemplo, câmeras de vigilância e sistemas de alarmes em locais de carga e descarga ou armazenamento atuam de forma dupla. Além de registrarem ocorrências e acionarem planos de reação, também funcionam como inibidores de crimes.

 

Responsabilidade coletiva

 

É importante reforçar que alguns pontos não são responsabilidade da empresa de segurança. O acompanhamento de carga e descarga, por exemplo, pode ser acompanhado pelo vigilante alocado, mas a liberação e conferência do material devem ser feitos por um funcionário da obra com conhecimento para tal. Da mesma forma, o uso de EPI (Equipamento de Proteção Individual) e a adoção de práticas de segurança do trabalho devem ser um esforço coletivo, sob orientação dos responsáveis pela obra, como Engenheiros Civis.  

 

Operação flexível

 

Um canteiro de obras passa por várias fases, do preparo das fundações até os detalhes de acabamento antes da entrega. Por isso, a operação de segurança também deve ser adaptada. Alguns riscos aumentam ou diminuem ao longo de cada fase e devem ser levados em conta na atuação da segurança. A quantidade de material armazenado, o tipo de equipamentos em uso ou mesmo o momento da instalação dos sistemas elétricos (com, consequentemente, a presença de cabos), são apenas alguns dos itens que mudam ao longo da construção.

 

O controle de acesso deve ser continuado e a operação deve funcionar 24 horas, mas câmeras e vigilantes podem ser realocados de acordo com os novos riscos. Em certo momento, o profissional de segurança pode atuar também com a orientação ao público externo. Uma das opções é a panfletagem, alertando sobre mudanças de circulação durante a obra ou sobre a presença de máquinas no local.

 

Atuação conjunta

 

Cuidando para que materiais e pessoas estejam seguros e para que o patrimônio não seja alvo de depredações, uma equipe de segurança pode atuar no canteiro de obras como um complemento bem-vindo aos profissionais da construção civil. Com uma atuação colaborativa, em que engenheiros e especialistas em segurança trabalhem em suas áreas de conhecimento, é possível tornar tanto o ambiente quanto a operação mais seguros.

 


 

Leia também:

Soluções Integradas de Segurança: como funciona a implantação

Segurança em Condomínios: 3 pontos chave para garantir a operação

Siga a G4S no Linkedin!


 


Aproveite para assistir ao webinar “GESTÃO DE SEGURANÇA EM AMBIENTES DE GRANDE CIRCULAÇÃO”. Preencha o formulário e assista agora mesmo:

* Esses campos são obrigatórios.