Tecnologia anti-drone: como se proteger contra os riscos

Posted by
LinkedIn
Facebook
Facebook
Twitter
Google+
https://blog.g4s.com.br/tecnologia-anti-drone/

O desenvolvimento de novas tecnologias traz mais segurança, mas também abre as porta para novos riscos. Como implantar tecnologias anti-drone?  

 

Tecnologia-Anti-drone

 

Drones podem ser equipamentos importantes para a segurança patrimonial. Ferramentas úteis para o monitoramento aéreo de grandes áreas, os drones podem alertar sobre invasões, acidentes ou incêndios em qualquer propriedade, com agilidade e sem colocar em risco as pessoas ligadas à operação. Porém, é igualmente possível que drones sejam utilizados para outros fins. Por isso, também é necessário que ações anti-drone sejam pensadas para algumas situações.

Grandes espaços abertos, como presídios, aeroportos, plantas fabris, fazendas ou estacionamentos, podem ser locais onde é preciso prever opções para segurança anti-drone. Prédios públicos como governos e embaixadas também e edifícios onde trabalhem ou morem celebridades ou executivos também são exemplos possíveis. Áreas de carga ou descarga com conteúdo sigiloso ou de alto valor agregado, por exemplo, podem ser alvo de espionagem através de drones. Diante desse cenário, como proceder? Confira a seguir algumas opções para minimizar os riscos.

 

Sistemas de advertência

 

Os sistemas de advertência são uma das melhores opções para proteção contra drones indesejados. A maioria dos sistemas é baseada em frequência de rádio (2,4GHZ e 5,8GHZ), que identificam os sinais da comunicação entre o controle remoto e o drone. Com isso, identificam a potencial invasão e enviam alertas às equipes de resposta. Outras medidas podem estar associadas ao alerta, como o fechamento de portas ou a paralisação temporária das atividades até a retirada do drone.

 

Câmeras analíticas

 

Câmeras inteligentes podem ser utilizadas em conjunto com softwares para identificar e alertar sobre a presença de drones irregulares no local. Utilizando um ângulo de visão que permita observar as alturas de voos dos drones, o sistema pode ser programado para disparar alertas imediatos para as equipes responsáveis.

 

Detecção e neutralização

 

Outros sistemas possíveis combinam câmeras inteligentes e sistemas reativos baseados em radar. Ativos 24h por dia, os sistemas escaneiam constantemente o entorno e acionam respostas de imagem e alarmes quando detecta, drones invasores. Outras opções possíveis atuam manualmente contra drones, com sinais que podem tanto cortar a comunicação do drone com seu controle quanto forçá-lo de volta ao ponto de origem ou pousá-lo imediatamente.

 

Respostas anti-drone programadas

 

Sozinho, nenhum desses métodos é eficiente. Para que as opções funcionem, elas precisam ser parte de uma operação completa e bem planejada. A capacidade de resposta das equipes deve estar alinhada aos riscos e valores agregados. A identificação da presença do drone invasor é só o primeiro passo da resposta. As equipes físicas podem ter respostas diversas planejadas, de acordo com a área de atuação. Caso seja identificado um drone em uma área de risco para um executivo, por exemplo, as equipes de proteção executiva podem ter como resposta programada retirar o VIP do local.

Em outras situações, como plantas fabris, a resposta da equipe pode ser o bloqueio da visão disponível, com o fechamento de galpões ou a suspensão das atividades de carga ou descarga com conteúdo sigiloso. É importante que a resposta seja decidida caso a caso, adequando-se aos riscos, possibilidades e prioridades de cada operação,

 


 

Leia também:

 

Drones na segurança: aliados do monitoramento

Central de monitoramento do futuro

Siga a G4S Brasil no Linkedin!

 


 

Quer saber mais sobre esse tópico? Preencha o formulário e baixe o e-book “O Futuro dos Drones na Segurança”!